CEIC
o Espiritismo

Palestras Públicas
Divaldo Pereira Franco e o 18º Movimento Você e a Paz

Engenho Velho de Brotas, Salvador – 11.12.2015

Em 11 de dezembro de 2015, foi iniciada a etapa Salvador/BA, do Movimento Você e a Paz, em sua 18ª edição. O evento, mobilizador para o grande momento a ocorrer no dia 19 de dezembro, na Praça Dois de Julho, na capital baiana, foi realizado no estacionamento do Solar Boa Vista, Engenho Velho de Brotas, às 20h.

Idealizado por Divaldo Pereira Franco, o Movimento, ao longo dos seus dezessete anos, já foi divulgado pessoalmente para mais de cem mil pessoas, no Brasil e no Exterior. Levando-se em conta a divulgação pela mídia eletrônica, esse número alcançou mais de um milhão de pessoas, estimativamente.

Com o palco montado, o som instalado e cadeiras dispostas na praça, as pessoas foram chegando. O barítono Maurício Virgens, profissional da música na Alemanha, foi o responsável pelo momento musical. Sua performance encantou os presentes, ao interpretar diversas músicas.

O Movimento Você e a Paz é ecumênico e apartidário, haja vista que a paz não é patrimônio de religiões, filosofias, governos ou de instituições políticas ou sociais, pois que a paz é uma conquista individual, alcançada pelo desenvolvimento de uma cultura pacificadora adotada por tantos quantos estejam voltados e devotados ao amor ao semelhante, ao próximo.

Ruth Brasil Mesquita, psicóloga, centrou sua apresentação na educação da criança, na responsabilidade da mãe, principalmente, para educar e promover o desenvolvimento cognitivo de seus filhos, na necessidade de famílias bem estruturadas, visando construir uma sociedade capaz de desenvolver e adotar uma cultura de paz.

Marcel Mariano, profissional da área jurídica, destacou o esforço do Ministério Público do Estado da Bahia em analisar, sob a ótica de diversos profissionais, a violência que grassa no seio da sociedade, bem como a construção de ações e comportamentos que visem o desenvolvimento de uma cultura de paz. A educação foi apontada como mecanismo para a mudança de hábitos, porém, somente alcançada no longo prazo.

Divaldo Franco narrou a comovedora história de Luba Gercak, polonesa, presa no campo de concentração nazista de Bergen-Belsen, na Alemanha, que cuidou de cinquenta e quatro crianças holandesas. Quando, em 15 de abril de 1945, os aliados libertaram os prisioneiros, Luba Gercak tinha sob seus cuidados cinquenta e duas crianças. Luba é o símbolo da coragem e da paz.
Divaldo frisou que o mal não pode prolongar-se na Terra e que cada indivíduo deve tornar-se pacífico e pacificador. Os planos de Deus para os homens são os do exercício do amor, da fraternidade, da solidariedade, da paz.

Com ênfase, convidou as criaturas a pensar na paz no âmbito familiar, social, conquistando a própria paz. Com sentida emoção, finalizou o belo ato pela paz com o Poema da Gratidão, de Amélia Rodrigues.

Seguindo o exemplo de Divaldo, Ruth e Marcel, todos cantaram a música Paz pela Paz, de Nando Cordel, ficando o evento encerrado com a queima de fogos de artifício.
Paulo Salerno.
Em 14.12.2015.

 

 

 
 
Av. Visconde de Guarapuava, 5434 - Batel - Curitiba - Paraná - Fone |41| 3015.2466 - ceic@ceic.org.br